O Desconhecido Esconderijo dos não-escritos

     Quanto tempo estava desejando declarar os passos de meus pensamentos e sentimentos que oscilam na claridade escura de cada compasso. Todavia, a felicidade é tão plena e digna que não há necessidade de divagações. Porque esse sentir é maior do que poderia escrever em linhas retas. Porque cada certeza é ressaltada em uma melodia encantada com a realidade. Porque o ser é muito mais digno do que simplesmente ter. Além de outros porquês.

     Não quero justificações, apenas transmitir para quem me ler a alegria cantante que se expressa a cada tropeços de sintonia escrita e aquelas não-escrita. Pois estou cada vez mais próximo desse esconderijo. Até então desconhecido…

     Dentro cada vez mais profundo estavam algumas expressões tão inovadoras que caminhavam num desejo único de marcar sua história. No entanto, alguma coisa não permitia e elas permaneciam em silêncio, escutando as batidas velozes de cada suspiro….

     Tudo que sentia estava além de qualquer expressão palavreada. Estava dentro daquele nós tão vivamente humano.

Anúncios

O sempre do amor

 

      O TUDO , realmente, dignificou-se e  humanizou-se por inteiro, nem mesmo os além das palavras seriam capaz de conotar a grandiosidade daquela felicidade pincelada em cada instante. Uma iluminação de verdade radiou por todos os lados e percorreu por todo aquele corpo-alma, pois agora não poderia viver mais aqueles imensos sentimentos. Sentia que o amor ainda era pequeno para descrever toda a dignificação e pureza que exalava em ligeiros e coloridos sorrisos.

      Finalmente,  o coração da verdade foi humanamente revelado como se fosse o ar mais singelo e límpido que poderia respirar, sentiu que estava voando ao não-tempo e aquela mesma sensação peculiar e familiar que sempre invadia quando ele destilava cada pulsar em palavra era como uma eterna melodia tocada pela alma em que apenas ambos poderiam escutar. Brevemente, estava nascendo o verdadeiro sentido de tanta espera e idealizações, agora a sua vida era a mais plena e humana possível. Não imaginava algo mais forte do que sentia no âmago do presente que permaneceria além dos estalares da eternidade e de qualquer forma de definir os verdadeiros sóis da vida humanística.

      Naquele presente o TUDO foi atingido tão naturalmente que nem mesmo tiveram a intenção de chegar tão além, mas aqueles corações ansiava chegar naquela nova atmosfera tão vitaliza. Parecia que toda sua vida fizera o real e total sentido no agora, aquele momento rápido era a marca mais profunda que poderia guarda em suas pupilas memoráveis. Como se tudo existisse, mas naquele estalar tudo manifestou suas sinceras e mais intensas nuances que nunca havia visto, apesar de sempre existir dentro daquele olhar tão esperançoso.

      A sua felicidade era tão inteira e digna que estava levitando, pois era de uma leveza tão tremenda que seus passos eram em cima dos ares de purificação. Subitamente, seus olhos congelaram aquela bela e radiante imagem daquele rosto que jamais deixaria de encanta-la com tanta beleza, sabedoria e ternura. Daquele mesmo olhar quando pulsou aquelas esperadas palavras de amor e ternura.  Como poderia ter tanto amor naqueles corações que jorravam a felicidade mais pura que jamais tinha vivido. Sabia que era a única vez.

     Em uma nova intensidade tinha absoluta certeza que aquele era o verdadeiro amor humanizado. Como um despertar disse agradecida para sua vida:

– Em breves palavras transmito mais que minha gratidão, mas minha felicidade por nunca ter desistindo de procura o verdadeiro amor – ao terminar exalou o maior sorriso que poderia sentir

-Não precisa agradecer apenas aproveitar sua felicidade plenamente.

     Ao dizer essas últimas palavras radiou numa escuridão tão serena que nem as estrelas conseguia esconder aquela magnitude. As estrelas do seu nome deu significado naquele T…U..D…O que unia mais que olhares e sim almas de corações. Às vezes, pensava que o amor ainda era pouco para sentir realmente a imortalidade daquele SENTIMENTO.

 

 

 

As histórias e o encontro de dois olhares

      A felicidade era leve como um abraço de conquista plena. Naquela noite sentia dentro da eternidade mais pura, algo que desconhecia e que sempre buscou para si. Tudo estava paz na verdadeira sintonia de uma grande revolução mais que humana, cármica e espiritual. Isto era dos próprios e mais intenso e verdadeiros sentimentos que poderiam dominar como olhar tão sedutor, com palavras tão gentis e motivadores que fortificavam cada vez mais um novo ressonar noturno.

     Nos horizontes de sentires conduziam para uma nova vida mais valorizada e única. E no calor daquela noite, sentira que sua existência foi comprovada e humanizada. Apenas um grandioso e verdadeiro sentimento poderia consolidar tudo que sempre ansiava. Repentinamente, sua respiração virou o ar mais secular que preenchia mais que seu corpo, alma e coração, aquilo era o centro da dignidade que cintilava todas suas maestrias.

      A profundidade era tudo que sabiam viver e naquele começo de novas descobertas sentiram que sorriso mais terno era transmitindo dentro dos olhos pulsantes. O tempo poderia passar, mas jamais esqueceria a noite ao entoar dos livros em que próximos construíam uma nova história. Tinha certeza que aquele novo futuro seria tão inesquecível como a noite literaturamente intensa.

      Somente o ser da verdade se consagrou quando a voz declarou que a felicidade não tinha limites…

     Em um pequeno pedaço de lembrança estava: “ A felicidade sempre conquista meu coração tão sorridente como uma manhã eterna… “

Raízes das verdades

    As melhores descobertas e mais significativas estão dentro de um sempre exalados nas tulipas. Ela com aqueles olhos de muitas esperanças flutuava num além tão distante e, contraditoriamente, tão perto da realidade e tão íntegro. Finalmente, seu tempo tinha chegado e desconhecia a maneira mais favorável de nivelar cada parte importante de sua existência. Estava tão feliz que sua alma libertou-se de seu corpo e começou a redigir esses mares de palavras, neste exato momento tinha exatidão mais humana de todas as cores e sabia que aquilo percorria por imensos e majestosos caminhos.

    Os passos eram de natureza breve e seus olhos refletiam um reconhecimento tão terno e apaixonante que cada vez que olhava sentia sua própria vida, ressaltando em torno de um íris infinito que nem mesmo os sonhos multicoloridos poderiam decifrar.

    Tinha certeza de que realidade era incrível e que sempre guardava grandes conquistas que valorizavam cada partícula corporal e aureolar. Subitamente, as marés contras foram rompidas e muito além surgiu um novo ele que salvou de injúrias e mentiras, transformando as cinzas sem nexos em tulipas amarelas e dourados como os amanhãs, roxas como véus de uma alma distinta e rosas como as alegrias contidas em todos os momentos que sempre cresciam em cada ações sensitivas de pequenos estalares, e de uma trilha que traçava a própria humanização.

    Nunca esqueceu da promessa que fizera a muito tempo atrás:“A flor do universo abre caminhos para o futuro”. A aquela essência era tudo que mais desejavam e ansiavam para dar o real sentido em sua vida petaladas pela dignidade do outro. As raízes era a própria sinceridade que se consolida algo que perpassa qualquer imensidão. Dali, nascia a fonte de significados próprios que apenas poucos sabiam.

 

Prelúdio de um novo encantamento

      O sempre destinava um caminho distinto. A temporalidade era levada pela expressividade tão verdadeira que ela nunca tinha sentido isso anteriormente. O seu coração estava tão pleno que nem sabia como organizar os pulsares de palavras. No entanto, tinha nítida sua direção que era o que jamais pensara possível existir em outro alguém e tornar-se como que realidade. Realidade que desejou ser semlimites de dias. Mas ainda havia algo a se saber que era outro tipo de sabedoria era algo mais humano e íntegro.

      Como se fosse um pedaço de uma eternidade que esperou para um dia realçar seu sincero e claro encantamento. Não havia dúvidas, apenas desejava saber o que a parte dotada da beleza da feminilidade e sensibilidade tinha brotado em seu coração e o que esperava desde agora. Mas ainda não sabia o que havia germinado na parte mais límpida e que nunca fora atingida antes. Entretanto, sabia que aquilo era mais que a poesia dos ventos e desejos sorridentes. Era um reconhecimento de lado da vida até então inexplorado.

     O vento trouxe, novamente, o ser da felicidade que  visitaria todas as manhãs, tardes e noites exprimindo em seus encontros a maior expressão contida dentro de cada perfume exalado em certezas.

Escrito por: Ele e Ela.