Parte I- Vida líquida: O além do amor

        Na liberdade encontrava todos as camuflagens dos seus sentimentos. “Que transcendência era esta? “– um suspiro da mente indaga- “Onde gostaria de chegar?”- a dúvida impermeável liberava todo o círculo daquele ambiente ainda desconhecido.

        Decairá em alguma parte tão intensa e vitaliza, nada impedia o nascimento daquele força suprema. No entanto, o medo agudo era um grito estridente e indigno que danificava o som melódico, mas aquilo não interrompia o crescimento daquele sentimento tão vasto.

        Nas curvas perniciosas encontrara o prazer divino, aquele licor que devorava alma era algo que atingi o mais íntimo. Aquela era via de toda sua vida, desconhecia seus impulsos instintivos e desejos puros que nasciam e fincava na terra macia. Lá, estava nascendo uma biodiversidade de vegetais raros produzidos pelo licor do pecado. – “Não havia pecado, apenas atitudes que sofrem preconceito, ou são injustas mesmos. Todos tem sua liberdade a partir do momento que nascem, podendo fazer da vida o que bem compreenderem”- Como era possível ser tão feliz e simultaneamente sentir culpada pela plenitude, tinha a falsa ilusão moralista que estava sendo corrompida ou pecadora.

        Estava inteiramente livre e plena, os quais dependiam daqueles sagrados momentos, que consagravam a comunhão com mais profundo de si. Todas as suas vozes eram exaladas através de sussurros tímidos e ardentes que permeavam todos os paradigmas. Dentro daquela liberdade líquida realizará a maioria de suas quimeras. Não era novidade que vida era líquida, reluzente e pura como cada momento que passava com Ele.

       Após alguns minutos ternos, Ela começa a redigir delicadamente um bilhete pequeno, deixando expresso seu alerta:” ‘Never let me go.. Never let me go’…Meu amor é maior do que posso sentir. Como uma explosão estou desintegrando para uma nova vida, e ela não pode ficar sem ti…Por isso, repito com toda força.. ‘Never let me go, never let me go…Never.. Never'(…) “- a folha estava úmida das lágrimas e deslizaram pela face gélida. Apesar de está inverno e um frio de congelar, lá dentro estava queimando da mais pura e durável paixão juntamente com Amor.

    Sob as estrelas sorrateiras Ela perdiam-se nos próprios delírios. Aquelas palavras poderosas estavam apunhalando e dilacerando todo o coração Dele. Ele que esperava o amanhecer para vislumbrar novamente aquele sorriso inesquecível e e gracioso que tanto alegrava-lhe. Ela e Ele, além de um casal, é um conjunto perfeito de todos os sentimentos intensos e possíveis que qualquer ser humano pode sentir, aliado com a escarlate paixão juntamente com Amor, os mestres dos sentimentos. Apenas eles conheciam as maravilhas do: O além do amor…Era mais do que O sentir, e ultrapassava qualquer fronteira sensitiva e compreendida.

        O líquido da vida deslizava no ritmo escaldante de cada instante: “Há felicidade para sempre..- afirmam as estrelas. Os  dias renasciam a eternidade, e as noites levavam a intensidade mais profunda…Como um sopro eterno do vento.