O silêncio inocente do fim…- “A hora da estrela”, de Clarice Lispector

(…)     “Tudo no mundo começou com sim uma molécula disse sim e outra molécula nasceu a vida”

.

     A origem do universo com a aceitação. O sim. O silêncio do mistério da nossa vida sob a ignorância e inocência de uma nordestina Macabeá, nos ruídos dos anúncios de rádio, em pequenas surpresas de palavras desconhecidas, nas músicas e sensações incompreendidas. Viva a monotonia em cópias de palavras na ânsia da felicidade e curiosidade, no piscar do olhar de ingenuidade dos mistérios expostos.

    O livro do silêncio, da pergunta sob o olhar de inocência da nordestina e tracejar do seu destino, na longínqua inexistente da vida na meditação do nada. Clarice escreve no alívio escuro de cada palavra se entregando ao inevitável. A morte.
Na última musica do violino e alegria da hora da estrela, a morte um pedaço da autora que se esvai no livro. O fim.Começo desconhecido.

    “Ela nascera para abraço da morte.” (…)

Deixe sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s