Fragmentação de noites claras

….

Nenhum olhar era mais hipnotizante do que sua existência navegante e momentos únicos de um belo sorriso. Neste instante, fecho os olhos e percebe que está vivendo…

…RETALHOS DE UM NOITE COM MUITA LUZ

Esta noite foi feita para gritar nossas ‘desdores’ pois estão sendo devorados pelo nada, para darem lugar um recanto sereno de jatos sentimentos caóticos e inspiradores. Deixe cantar a melodia que fluir dentro do seu ser.
Ela balançou a cabeça com sinal afirmativo e decidiu viver livremente e a parti dali nunca mais sentiu medo da vida…

?HUMANAMENTE ANIMAL ?

Apenas na noite que percebo que a vida está silenciosamente misteriosa. Como várias borboletas que representam a metamorfose da própria existência humana!

! CONDIÇÃO DE VIDA OU VIVA!

Por enquanto, era feliz. Será que este estado sempre viverá no presente ?Como pode uma coisa desta? Sendo que até agora não escrevi nem um verbo no presente. Somente este: Estou viva, isto que importa;

; NO CÉU UM SEGREDO;

Dentro de algo tão escondido que perde suas certezas em algumas corações que ainda fazia parte da lua.

.ABISMO DA VERDADE.

Se meus sonhos não tornam realidade, serei uma pessoa Sonhadora. Enquanto isto, aguardo lentamente ser alguém totalmente Realizada-

— FIM DA GRAMÁTIKA–

O melhor momento de nossa existência quando deparamos com tudo aquilo que vale a pena viver, lutar, superar, entre outros verbos que estão sempre no “infinito”, pois sem eles não há impulsão de vida e os substantivos ficam enfraquecidos por advérbios de negação; os adjetivos passam a descaracterizar tudo; as preposições passam ligar dores e sofrimentos ; as conjunções relacionará derrotas e inseguranças e os artigos não acompanharam mais ninguém e nenhum, assim ficará sozinho e os pronomes não substituirá nada e também se divorciará de todos os nomes.
Só restará apenas uma única interjeição “macunaímizada”:
– Ai, que preguiça!

Assim é o fim das classes gramaticais e classe de vida digna.

(,?~!.)

Anúncios